O que fazer no Peru: 17 pontos turísticos e cidades imperdíveis

O Peru é provavelmente um dos destinos mais conhecidos da América do Sul, e o misterioso assentamento de Machu Picchu ja adornou muitos cartões postais turísticos. Mas enquanto o país é certamente celebrado pela Trilha Inca e seu antigo sítio arqueológico, o Peru tem muito mais a oferecer do que ruínas antigas.

Separe um tempo para descobrir todas as belezas peruanas, desde os assentamentos pré-colombianos até as cidades modernas e tradicionais do Corredor Turístico do Sul do Peru. Explore os museus de Lima, mergulhe nas águas termais de Cusco, em alta altitude, e sobrevoe as espantosas linhas de Nazca. Veja aqui os melhores lugares para visitar no Peru

17. Chachapoyas

 Chachapoyas

Situada em um lugar cênico, porém isolado, longe da costa peruana, Chachapoyas fica no alto das montanhas e é a capital do Amazonas peruano. Embora a cidade não tenha muito a oferecer, ela funciona como uma porta de entrada para as deslumbrantes paisagens naturais e sítios arqueológicos que a cercam.

Fundada pelos espanhóis em 1538, a pequena cidade abriga alguns monumentos interessantes e edifícios coloniais, com muitos restaurantes, hotéis e operadores turísticos encontrados ao redor de sua praça principal. Daqui, você pode organizar uma visita a lugares incríveis, como os distintos sarcófagos de Karajia ou a antiga cidade de pedra de Kuelap – as maiores ruínas pré-Inca da América do Sul.

Não faltam belezas naturais nas proximidades, com montanhas, vales e florestas que abrigam uma gama diversificada de fauna e flora, incluindo inúmeras espécies de aves de cores vivas. As cachoeiras cintilantes também são abundantes: as Cataratas de Gocta são algumas das mais fenomenais, com mais de 700 metros de altura. Com tantas paisagens soberbas para explorar, caminhadas e trekking são populares e podem ser organizadas em Chachapoyas.

16. Reserva Nacional Paracas

 Paracas National Reserve

Famosa por seu cenário dramático, riqueza de sítios arqueológicos e belas praias e vida selvagem, a Reserva Nacional de Paracas fica ao longo da costa sul do Peru, cerca de 250 quilômetros ao sul de Lima. Dentro de seus limites encontram-se ecossistemas marinhos e de deserto costeiro, assim como algumas ilhas áridas e rochosas.

Enquanto as ferozes ondas do oceano pulverizam em seus penhascos irregulares e desmoronados e ilhas desertas, suas pequenas enseadas e baías são o lar de águas rasas e quentes, perfeitas para nadar. Suas praias abrigadas também são adoráveis para relaxar, enquanto a vela e o windsurf são passatempos populares. Além disso, muitas pessoas fazem passeios de barco até as Ilhas Ballestas para observar com admiração suas espetaculares formações rochosas e a multidão de aves marinhas, focas e leões marinhos que ali vivem.

Ao visitar a Reserva Nacional de Paracas, a maioria dos visitantes fica na pequena cidade do mesmo nome que fica na Península de Paracas. Aqui você pode encontrar muitos restaurantes, bares e hotéis, assim como operadores turísticos que podem levá-lo a ver alguns dos antigos sítios arqueológicos que se espalham pela reserva.

15. Chan Chan

 Chan Chan

Situada nos arredores da cidade de Trujillo, no noroeste do Peru, Chan Chan é um dos sítios arqueológicos mais impressionantes e extensos do país. A maior cidade pré-colombiana descoberta até agora, está situada na foz do Vale do Moche em um local desolado e árido, não muito longe do Oceano Pacífico.

Uma vez a capital do Império Chimu, Chan Chan subiu à proeminência por volta de 850 d.C. quando palácios, praças e templos surgiram. Enquanto muitos destes estão agora severamente erodidos, pois a cidade era inteiramente feita de barro, muitos traços finos e esculturas permanecem.

Entre a interminável dispersão, você pode encontrar dez moradias da realeza, casa para salas de cerimonial, câmaras funerárias e palácios. Estas eram as residências dos reis de Chimu, que foram enterrados em seu complexo quando morreram. O único aberto aos visitantes e parcialmente restaurado é o Palácio Nik An, que apresenta belos desenhos geométricos, motivos marinhos e uma arquitetura imponente.

14. Parque Nacional Huascaran

 Huascaran National Park

Situado no alto dos Andes, na região da Serra Central do Peru, o enorme Parque Nacional Huascaran abrange quase toda a Cordilheira Branca. A cordilheira tropical mais alta do mundo é o lar de picos elevados e paisagens arrasadoras, enquanto inúmeras espécies de fauna e flora podem ser encontradas dentro de seus limites.

Fundado em 1975, o parque se espalha por uma vasta área e inclui uma série de montanhas poderosas. Huascaran – que dá nome ao parque – é o pico mais alto do Peru, com 6.768 metros. Notavelmente, mais de 600 geleiras cintilantes estão pontilhadas sobre a parte superior da cordilheira, e inúmeros lagos alpinos e rios agitados podem ser encontrados abaixo.

Os vales varridos da Cordillera Blanca, os altos planaltos e as encostas íngremes formam o lar de todos os tipos de fauna e flora, enquanto antigos sítios arqueológicos também estão espalhados por lá. Devido à linda paisagem o parque é um lugar maravilhoso para fazer trekking, escalar montanha e esquiar. Observar a vida selvagem também é popular; vislumbrar o puma esquivo ou o urso de óculos (Tremarctos ornatus), que está em extinção é uma experiência inesquecível.

13. Huacachina

 Huacachina

Situada nos arredores da cidade de Ica, no sudoeste do Peru, Huacachina é um lugar popular a ser visitado graças à sua localização surreal rodeada de dunas. Emergindo do deserto como uma miragem, o pequeno povoado está agrupado em torno de um oásis isolado, com palmeiras suavemente onduladas e nada além de areia que se estende até onde os olhos podem ver.

O ambiente arenoso da Huacachina serve perfeitamente a todos os tipos de atividades divertidas ao ar livre, com sandboard, quad bike e passeios de buggy pelas dunas sendo passatempos populares. A escalada até o topo das dunas é também uma obrigação para as vistas espetaculares, e os pores-do-sol são particularmente memoráveis.

Relaxar ao redor do oásis e aproveitar o cenário deslumbrante é uma bela maneira de passar o tempo, e nadar oferece uma pausa bem-vinda do calor abrasador. Como é voltada para os turistas, Huacachina tem muitos restaurantes, bares e hotéis para escolher, com alguns quiosques e lojas espalhadas aqui e ali. Além de suas amplas oportunidades de aventura, você também pode visitar as bodegas e vinícolas em Ica se quiser provar alguns deliciosos produtos locais.

12. Mancora

 Mancora

Como um dos destinos de praia de verão mais badalados da Costanera Norte, ao longo da costa norte do Peru, você simplesmente tem que adicionar a Mancora ao seu roteiro. Esta fatia da gloriosa costa arenosa se estende por quilômetros ao longo de uma das partes mais ensolaradas do Peru. Aqui você encontrará de tudo, desde mochileiros a resorts de praia com areia.

Além das praias, que são perfeitas para relaxar, Mancora tem uma movimentada rua principal cheia de vibrantes bares de praia, restaurantes de frutos do mar e uma excelente cena noturna que anima depois do sol se pôr.

Dito isto, o que faz este lugar tão especial é exatamente não fazer nada. Os dias de praia relaxantes são a ordem do dia. Aqueles que procuram algo mais ativo podem ir surfar nas águas quentes, dar um passeio à beira-mar de South Beach até Organos ou avistar golfinhos e baleias sazonais brincando nas ondas da praia principal. Se de alguma forma você se cansar das atividades de praia da Mancora, vã mais longe – nade com tartarugas em El Nuro ou mergulhe nas nascentes quentes de Poza de Barro.

11. Trujillo

 Trujillo

Situada em um vale exuberante oito horas ao norte de Lima, Trujillo é celebrada por seu centro colonial fotogênico repleto de coloridas mansões espanholas, igrejas pitorescas e simpáticos habitantes locais.

Não muito longe da costa do Pacífico, esta cidade relativamente grande foi fundada nos anos 1500 perto das ruínas abandonadas de Chan Chan, um dos maiores impérios pré-incas do antigo Peru. Dentro de suas impressionantes ruínas outrora muradas, esta cidade de lama criada pelo reino de Chimú é a maior cidade de barro das Américas e possui uma série de templos religiosos, cemitérios e residências reais.

Mas essa não é a única história que vale a pena explorar em Trujillo. Visite a Universidade Nacional de Trujillo do século XIX – uma das maiores de seu tipo na América do Sul – que apresenta o mosaico mais longo do mundo, e aprecie os incríveis murais da Huaca de la Luna (o Templo da Lua) que, infelizmente, mostra o sacrifício humano. Se você está procurando relaxar após seus dias de exploração, você precisa ir às praias da cidade resort Huanchaco – não esqueça seu protetor solar!

10. Deserto Nazca

 Nazca Desert

As linhas enigmáticas de Nazca que cruzam os vales de Palpa e Nazca colocaram esta parte do deserto peruano, que não tem outras atrações relevantes, no mapa. Estas enormes inscrições de linhas, animais e outros padrões geométricos foram esculpidas no terreno arenoso pelo povo Nazca e acredita-se que tenham sido parte de uma estrada sagrada com mil anos. O clima seco, sem vento e estável do deserto de Nazca ajudou a manter as linhas descobertas até os dias de hoje.

A melhor maneira de apreciar a magnitude dessas linhas e formas geométricas é a partir do ar, com um vôo sobre as linhas Nazca. Se você estiver hesitante em voar (os custos não são baratos!) ou simplesmente preferir vê-los de perto, há uma torre de observação ao longo da rodovia Panamericana onde você pode ver três das figuras principais.

Outros locais que valem a pena ver neste deserto são os antigos aquedutos conhecidos como os canais nazcas. Estes canais subterrâneos são o que permitem que as plantações de algodão, batatas e frutas no deserto prosperem neste local de resto habitável.

9. Iquitos

Iquitos

Iquitos é a capital da região de Loreto, que engloba a maior parte do norte da Amazônia peruana. Curiosamente, uma cidade que foi formada inicialmente por uma tribo de caçadores-coletores, Iquitos é hoje a maior cidade do mundo sem acesso rodoviário.

Embora Iquitos seja um pouco complicada para se chegar – você tem que voar ou ir em um barco – as recompensas valem a pena. Apesar de sua localização remota, há uma mistura de arquitetura tradicional e moderna: cabanas de madeira construídas em palafitas ribeirinhas contrastam com a arquitetura histórica da praça central.

Oferecendo uma fuga inesquecível e autêntica na selva amazônica, os visitantes podem navegar pelo mercado flutuante do Belen onde se encontra de tudo, desde bananas até carne de crocodilo. Se são lembranças que você procura, o mercado de artesanato de San Juan é uma aposta melhor. Vá com um guia de confiança, pois é um local com seus perigos para quem não conheçe.

O isolamento de Iquitos joga a seu favor; a selva ao redor oferece algumas das melhores oportunidades de observação da vida selvagem no país. É um ótimo ponto de partida para passeios de barco ao longo do rio Amazonas para avistar macacos, jacarés, e as famosas sucuris. Visitar a Reserva Nacional Pacaya Samiria, próxima a Lagunas, é um dos melhores lugares para avistar alguma vida selvagem incomum na Amazônia.

8. Puno

Puno

Puno é uma pitoresca cidade portuária de encosta que forma a porta de entrada natural para o Lago Titicaca e as mais de 85 ilhas flutuantes Uros – os barcos partem do cais a cada 40 minutos. Situada a uma altitude de 3.800 metros, Puno tem uma vista gloriosa sobre os lagos e a cadeia de ilhas.

Devido a seu fácil acesso de e para as cidades vizinhas na Bolívia e no Chile, Puno é um ponto turístico popular, mas oferece uma alternativa mais descontraída para as ilhas litorâneas de alto nível que podem ser avistadas a partir da cidade. Por exemplo, os souvenirs no mercado à beira do lago são muito mais baratos do que em Cusco ou Lima!

Sua maior atração é ser ponto de partida para as famosas ilhas flutuantes Uros, com barcos saindo a cada 40 minutos do cais. É também um ótimo lugar para conhecer as culturas aimara e quíchua. Algumas das coisas mais populares a fazer incluem uma visita a uma fazenda de lhamas e uma pernoite com uma família local. A maioria das pessoas que vivem em Puno são andinas, portanto há uma mistura interessante de tradições modernas e andinas, e você ainda encontrará muitas mulheres com trajes tradicionais coloridos.

7. Lima

Lima

Como a capital e maior cidade do Peru, Lima é uma metrópole em expansão de quase 9 milhões de pessoas. A cidade foi fundada em 1535 pelo conquistador espanhol Francisco Pizarro e oferece uma rica história, bem como uma comida excepcional, um grande senso de cultura.

Você encontrará edifícios modernos contrastando com a arquitetura tradicional e colonial e favelas lado a lado com discotecas e bares movimentados. Dominada pelos espanhóis durante três séculos, Lima possui intrigantes igrejas, claustros e mosteiros espanhóis-coloniais – um prato cheio para os entusiastas da história.

Devido à sua localização próxima à costa, Lima é um grande destino gastronômico para os amantes de frutos do mar. Um tour gastronômico por Lima é uma ótima maneira de saborear as autênticas delícias peruanas da cidade como Ceviche, com uma visita a alguns dos mais autênticos mercados e restaurantes da cidade.

Quer você esteja passeando pelo coração histórico de Lima Centro e seus mercados de artesanato ou explorando o subúrbio verde mais turístico de Miraflores, que transborda de lojas de antiguidades e bares, você está em busca de algo especial em Lima.

6. Colca Canyon

Colca Canyon

Localizado na região montanhosa da Serra do Sul, o Colca Canyon é um dos destinos turísticos mais populares do Peru. Com mais de 70 quilômetros de extensão, o segundo cânion mais profundo do mundo possui um cenário espetacular com uma fascinante cultura andina e natureza a ser descoberta.

Embora o tamanho e a escala do cânion sejam surpreendentes, é a diversidade das muitas paisagens que é a característica mais impressionante de Colca; ela abrange tudo, desde estepes estéreis e terraços escalonados até penhascos íngremes e picos montanhosos. Onde quer que você vá, a paisagem é fenomenal, com vistas de tirar o fôlego dos condores andinos voando sobre o cânion de 3.140 metros de profundidade.

Sítios arqueológicos e ruínas estão espalhados sobre o cânion, enquanto os moradores locais mantêm suas tradições ancestrais em seus pequenos vilarejos e cidades. Muitas pessoas que visitam o Canyon de Colca começam em Chivay antes de caminhar ao longo da orla cênica, passando por ravinas precipitadas e gotas que desafiam a morte, aproveitando o cenário e as paisagens surpreendentes enquanto vão.

5. Vale Sagrado

Sacred Valley

Outrora o coração do Império Inca, o Vale Sagrado dos Incas é um vale nos Andes, próximo a Cusco e à antiga cidade de Machu Picchu. O vale era apreciado pelos Incas devido a suas qualidades geográficas e climáticas especiais.
Localizada na Serra Sul do Peru, algumas das atividades mais populares aqui são baseadas na aventura – desde trekking e rafting até escalada em rocha. Fazendo um contraste, as cidades de Yucay e Urubamba estão rapidamente se tornando um centro de relaxamento espiritual e meditação.

Seja qual for o caminho, há muito a descobrir ao longo do caminho. Há lindas cidades coloniais, vilarejos remotos, mercados coloridos e locais incas fascinantes, como as cidadelas de Pisac, Chinchero e Ollantaytambo situadas ao longo desta misteriosa rota.

Leve seu tempo explorando os morros escalonados acima de Pisac, descendo a tempo de navegar pelo famoso mercado artesanal da vila. Confira Choquequirao, um conjunto de ruínas que são consideradas tão bonitas quanto Machu Picchu.

4. Trilha Inca

Inca Trail

Serpenteando através das montanhas, e acima de vales com vistas impressionantes, a Trilha Inca do Peru é uma das trilhas mais famosas do mundo. A caminhada leva cerca de quatro dias para ser completada e começa nos arredores de Cusco, a antiga capital do Império Inca, com o objetivo final sendo o mítico Machu Picchu – a Cidade Perdida dos Incas.

Usando antigos caminhos e trilhas de pedra que os próprios Incas estabeleceram há séculos atrás, o caminho serpenteia por diversos ecossistemas e paisagens. Enquanto algumas partes passem ao lado de terraços escalonados, outras passam por tundras alpinas e florestas, com vales profundos e montanhas imponentes sendo vistas no horizonte. Como a civilização inca estava centrada em torno das terras altas, você também encontrará ruínas antigas no caminho.

Devido à incrível popularidade da Trilha Inca, os visitantes agora precisam reservar com um operador turístico e podem escolher entre várias rotas diferentes, que variam em distância e elevação. Caminhar pela trilha histórica nos passos dos Incas é uma experiência inesquecível e torna a chegada ao majestoso Machu Picchu ainda mais especial.

3. Arequipa

Arequipa

Localizada a 2.380 metros acima do nível do mar, Arequipa é a segunda maior cidade do Peru. Cercada por vulcões, incluindo o El Misti, é conhecida como a “Cidade Branca” porque suas construções foram feitas de rocha vulcânica branca chamada sillar das montanhas vizinhas.

Ao contrário de muitas outras cidades do Peru, Arequipa não deve aos Incas sua fama – pelo menos, não na forma de assentamentos antigos. Sua mais famosa atração inca é a Múmia Juanita, também conhecida como a Dama de Ampato – um corpo congelado surpreendentemente bem preservado de uma jovem adolescente Inca que foi sacrificada aos deuses durante os anos 1400. Ela agora pode ser encontrada no Museu de Santuários Andinos da Universidade Católica de Santa Maria.

Exemplos da arquitetura colonial espanhola podem ser encontrados em todo o centro da cidade. Entre os mais significativos está o Convento de Santa Catalina, que é freqüentemente descrito como uma cidade dentro de uma cidade por causa de suas charmosas ruas, edifícios coloridos e flores. Belas pontes como a Puente Bolognesi também oferecem valor histórico, assim como vistas panorâmicas. A praça principal da cidade, a Plaza de Armas, é um ponto de partida comum para muitos turistas com suas lojas, restaurantes e igrejas antigas.

Arequipa é o ponto de partida natural para visitar o multicolorido Colca Canyon, uma das principais atrações turísticas do Peru. Caindo a uma profundidade de 3.270 metros, o cânion é um dos mais profundos de seu tipo no mundo.

2. Cusco

Cusco

Localizada nas Serras do Sul, a colorida Cusco já foi a capital do Império Inca. Hoje, ela detém o título de capital arqueológica das Américas. É um dos destinos mais visitados do Peru, e por uma boa razão: oferece fácil acesso a Machu Picchu e ao incrível Vale Sagrado dos Incas.

Construída pelos espanhóis sobre as ruínas dos antigos templos e palácios incas, o coração da cidade é a praça principal, a Plaza de Armas, que é cercada por restaurantes, cafés e igrejas. O colorido Mercado de San Pedro está próximo, com vendedores de artesanato quechua, como têxteis de alpaca, cerâmica pintada, cerâmica e bonecas peruanas, assim como produtos frescos e bebidas.

Fora dos limites da cidade está um importante local inca conhecido como Sacsayhuaman, um enorme complexo murado construído com grandes rochas calcárias. O local é uma maravilha da engenharia antiga devido a seu alinhamento preciso com os solstícios anuais e sua capacidade de resistir a terremotos.

A cidade está repleta de cultura – é o centro da cultura quíchua nos Andes – e suas montanhas estão repletas de rotas de trekking e fontes termais. Percorrer as ruas da cidade com sua arquitetura colonial, mercados de artesanato, museus e galerias de arte tem uma sensação intemporal.

Devido a sua localização em altitude 3.400 metros acima do nível do mar, ter sintomas de falta de ar por causa da altitude é um risco em Cusco, portanto, certifique-se de se aclimatar com calma antes de vir para cá.

1. Machu Picchu

Machu Picchu

Machu Picchu é o destaque peruano de qualquer visitante, não importa o motivo que você esteja visitando este país sul-americano. Com 2.430 metros de altura nos Andes, esta antiga cidade abandonada dos Incas parece estar eternamente envolta em névoa. Na verdade, está tão bem escondida que permaneceu desconhecida por séculos – ganhando o apelido de “Cidade Perdida dos Incas”.

O local foi eventualmente descoberto por um explorador, mas mesmo assim, apenas por acidente. Nos anos desde sua descoberta, tornou-se um dos pontos turísticos mais cobiçados do mundo. Isto significa que o local é bastante movimentado, portanto, não deixe de planejar sua viagem com bastante antecedência. Algumas das formas mais populares de se chegar a estas ruínas inca desmoronadas são caminhando pela Trilha Inca ou pela Trilha Salkantay. Para aqueles que preferem não subir a pé, há uma rota mais fácil por trem.

Independentemente de como você chegue ao lugar, há muito o que fazer quando chegar. Explore edifícios bem preservados que incluem casas, templos, fontes e banheiros, além de terraços agrícolas e resquícios de um sistema de irrigação. Você também pode admirar as vistas ao redor do Portão do Sol, a porta de entrada para Machu Picchu a partir da famosa Trilha Inca, e subir o Huayna Picchu ou a Montanha Machu Picchu para avistar os pássaros sobre os vales encantadores.